Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal de Porta-Bandeira e Mestre-Sala apresenta-se usando trajes que representam a nobreza do século XVIII, porém com o exagero dos enfeites.


Historicamente falando, o casal surgiu no período da colonização, quando a corte portuguesa realizava o entrudo nas casas grandes, as sedes das fazendas.


Registros mostram que durante as brincadeiras realizadas no entrudo, um casal de escravos, encantado com a festa, passou a acompanhar o movimento andando atrás do festejo, observando-o de longe.


Os casais dançavam elegantemente com roupas de gala, o que chamava a atenção dos escravos que os observavam.


Com o passar dos anos, os negros adotaram o entrudo como festa e, durante ela, o casal imitava seus senhores, os barões e baronesas, como motivo de gozação. A brincadeira agradava a todos, tornando-se uma tradição da festa, sendo mais tarde batizados como Porta-Bandeira e Mestre-Sala.


 


1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Ruhanan Pontes e Ana Paula Sgarbi
1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Ruhanan Pontes e Ana Paula Sgarbi
2º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Vaguininho e Lili Crepaldi
2º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Vaguininho e Lili Crepaldi
3º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Rafael Santos e Thais Telles
3º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Rafael Santos e Thais Telles
Casal Mirim: Carlos Matheus Vieira e Isis Crepaldi
Casal Mirim: Carlos Matheus Vieira e Isis Crepaldi